Blog

Produto com defeito? Conheça seus direitos!

Conheça os principais direitos do consumidor que adquiriu um produto defeituoso.

Ao comprar um produto, o consumidor espera que sua necessidade seja atendida e a mercadoria funcione corretamente. No entanto, é muito comum o cliente se surpreender com a compra de um produto defeituoso.

Por isso, o consumidor deve estar preparado para exigir seus direitos caso adquira um produto com defeito e, assim, é importante saber o que diz a Lei nº 8.078, conhecida como Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Confira neste post os principais direitos do consumidor em caso de produto com defeito!

Quais os direitos do consumidor quando o produto apresenta defeito?

De acordo com a lei, os fornecedores devem se responsabilizar por eventuais falhas sobre seus produtos e serviços. Por isso, o CDC estabelece em seu artigo 4º, inciso V, o seguinte princípio:

“Incentivo à criação pelos fornecedores de meios eficientes de controle de qualidade e segurança de produtos e serviços, assim como de mecanismos alternativos de solução de conflitos de consumo.”

Assim sendo, caso adquira um produto e o mesmo apresente um defeito, o consumidor conta com a proteção do CDC para assegurar direitos como, por exemplo:

  • o reparo do produto com defeito;
  • a troca do produto com defeito;
  • o reembolso do valor do produto com defeito;
  • a indenização por danos decorrentes da falha no produto.

No entanto, essas garantias podem variar de acordo com a situação e o consumidor deve ficar atento ao solicitar o reparo. Para conhecer as principais diferenças, é necessário entender os conceitos de vício e fato do produto.

Confira:

Vício do Produto

O vício é simplesmente o defeito do produto, que pode ser classificado em três categorias diferentes dependendo da situação. Essas classificações são previstas pelo CDC e definem o vício como:

  • o que torna o produto/serviço inadequado ao consumo;
  • o que diminui o valor do produto/serviço;
  • o decorrente da disparidade das indicações do produto/serviço com aquelas descritas na embalagem ou na oferta publicitária.

Fato do produto

O fato do produto, também conhecido como acidente de consumo, é o dano causado pelo produto defeituoso. Um exemplo dessa situação é quando um celular “explode” e o acidente causa queimaduras no usuário.

produto-com-defeito-direitos-do-consumidor
O consumidor deve ser compensado por eventuais prejuízos oriundos do produto com defeito. | Imagem: Freepik (@wayhomestudio)

Esses casos também são previstos e regulamentados pelo CDC, que estabelece o seguinte em seu artigo 12º:

“O fabricante, o produtor, o construtor, nacional ou estrangeiro, e o importador respondem, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos decorrentes de projeto, fabricação, construção, montagem, fórmulas, manipulação, apresentação ou acondicionamento de seus produtos, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua utilização e riscos.

§ 1º O produto é defeituoso quando não oferece a segurança que dele legitimamente se espera, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais:

I – sua apresentação;

II – o uso e os riscos que razoavelmente dele se esperam;

III – a época em que foi colocado em circulação.

§ 2º O produto não é considerado defeituoso pelo fato de outro de melhor qualidade ter sido colocado no mercado.

§ 3º O fabricante, o construtor, o produtor ou importador só não será responsabilizado quando provar:

I – que não colocou o produto no mercado;

II – que, embora haja colocado o produto no mercado, o defeito inexiste;

III – a culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro.”

Portanto, caso o consumidor sofra algum prejuízo decorrente da falha no funcionamento do produto, o fabricante responde pelo ocorrido, desde que sejam respeitadas as determinações da legislação sobre o tema.

Qual o tempo de garantia para reclamar do produto defeituoso?

Ao adquirir o produto, o consumidor conta com dois tipos de garantia: a legal e a contratual. Essa proteção assegura a possibilidade de reclamar do produto com defeito e solicitar que seu prejuízo seja sanado.

garantia legal, como seu nome sugere, é a garantia assegurada pela legislação a todos os consumidores. Essa proteção dá ao consumidor um prazo preestabelecido para reclamar de produtos com defeitos aparentes (que podem ser facilmente constatados).

Esse prazo varia de acordo com o tipo de produto, sendo de:

  • 30 dias para produtos não duráveis (que tem validade curta, como alimentos, por exemplo);
  • 90 dias para produtos duráveis (que tem validade longa, como eletrodomésticos, por exemplo).

Já a garantia contratual é aquela concedida pelo próprio fabricante (ou fornecedor) no momento da compra. Essa proteção é variável, pois sua duração é estabelecida no contrato e não é predeterminada.

No entanto, a garantia contratual deve sempre ser complementar à garantia legal e, por isso, dura mais tempo.

E quando o produto dá defeito depois do prazo de garantia?

Além das falhas aparentes, os produtos também podem dar outro tipo de defeito, denominado vício oculto. Nesse caso, o problema só aparece depois de algum tempo de uso, muitas vezes após o fim da garantia.

Ocorre que muitas pessoas acreditam que quando a garantia acaba, não tem mais como reclamar do produto com defeito. No entanto, de acordo com a legislação, os vícios ocultos também devem ser corrigidos.

produto-com-defeito-troca-reparo-reembolso
A empresa deve consertar produtos defeituosos. | Imagem: Freepik (@user18526052)

No caso de vício oculto, a garantia começa a contar a partir da data de descoberta do problema. Por isso, ao se deparar com o problema, o cliente deve fazer uma reclamação formal junto a empresa e solicitar o reparo.

Quanto tempo a empresa tem para resolver o meu problema?

Ao receber a queixa de produto com defeito, a empresa tem o prazo de 30 dias para consertar a mercadoria. Caso contrário, de acordo com o artigo 18º do CDC, o consumidor pode optar entre:

  • a substituição do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso;
  • a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos, ou;
  • o abatimento proporcional no preço.

Preciso esperar o prazo de 30 dias para receber meu produto?

Nem sempre, pois quando o produto é considerado essencial à vida, a legislação prevê a substituição imediata da mercadoria. Dessa forma, não é necessário passar pela assistência técnica.

Como pedir a troca de produto com defeito?

Confira algumas dicas que podem auxiliar o consumidor a garantir seus direitos em caso de produto com defeito:

Guarde comprovantes da compra

Ao comprar o produto, é importante que o consumidor guarde alguns documentos como, por exemplo:
– o número do pedido;
– o protocolo com previsão de entrega;
– a nota fiscal;
– o comprovante de pagamento.
Geralmente, esses documentos são solicitados quando o consumidor entra com o pedido de conserto, troca ou reembolso de um produto com defeito.

Entre em contato com a empresa

Em caso de produto com defeito, o consumidor deve entrar em contato com a empresa por um dos canais de atendimento disponíveis.

Descreva a situação com detalhes

O consumidor deve explicar, em detalhes, qual o problema apresentado pela mercadoria. Para isso, o cliente pode esclarecer como ele descobriu a falha no funcionamento e também enviar algumas fotos do produto com defeito.

Anote protocolos

Lembre-se sempre de anotar os seguintes dados:
– número do protocolo;
– data do contato com a empresa;
– nome do atendente.
Além disso, é importante guardar prints de e-mails trocados com a empresa e outros comprovantes de reclamação.

Aguarde

É importante ficar atento aos prazos legais para que o problema seja solucionado. Caso a empresa não se manifeste dentro do período esperado, entre em contato para verificar a situação.

A empresa se negou a trocar meu produto com defeito. E agora?

Caso o problema não seja resolvido pela empresa, pode-se recorrer aos órgãos de proteção ao consumidor para se defender. Nesse caso, as opções são:

Além disso, também há a opção de ajuizar uma ação contra a empresa por meio de um advogado especialista em Direitos do Consumidor. Dessa forma, é possível garantir que seja cumprido o que está estabelecido em lei.

Dependendo da situação, ao reclamar da falta de atendimento, é possível conseguir uma indenização não só pelo produto com defeito, mas também pelos prejuízos por ele causados.

FONTE: https://www.rosenbaum.adv.br/produto-com-defeito-conheca-seus-direitos/

construtora

Comentar

Clique aqui para postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *