Blog

Advogado Previdenciário: Dicas para escolher

Escolher um bom profissional para cuidar de assuntos tão delicados não é uma tarefa fácil.

Elaborei um passo a passo para ajudar você nessa decisão. São alguns pontos que só fica atento quem é da área.

Siga estes 9 passos para você ter um processo seguro e não cair em furada.

Antes de visitar o escritório:

  1. Verifique se o advogado é um especialista em previdenciário. Você pode fazer isso descobrindo em quantos processos previdenciários o escritório dele atua. Aqui no Paraná você pode conferir este dado no site do TRF4.
  2. Pesquise se ele escreve e entende sobre previdenciário. Veja se o advogado fala sobre a área no site ou nas redes sociais. Se ele tiver um blog ou outro canal de comunicação e não falar nada sobre previdenciário, pesquise um pouco mais antes de contratar.
  3. Peça para um advogado que você já confie pesquisar sobre a atuação e a reputação do colega.

No início da consulta previdenciária:

  1. Peça para ver os cálculos do seu benefício (aposentadoria, pensão, auxílios). Advogado previdenciário tem que fazer cálculos. Se ele não fizer, fuja!
  2. Analise se ele perguntou os detalhes da sua vida de trabalho. Uma conversa de 15 minutos pode ajudar ele a entender um pouco mais sobre o seu caso, mas muitas vezes é preciso analisar documentos e voltar para uma segunda consulta.
  3. Verifique se quem está te atendendo é um advogado. Não aceite ser atendido por estagiários ou pessoas sem profundo conhecimento na área.

Durante a consulta previdenciária:

  1. Pergunte se ele vai entrar com mandado de segurança caso seu processo administrativo demore. O mandado de segurança é um processo judicial que pode acelerar a decisão do seu benefício previdenciário em muitos meses.
  2. Pergunte se ele faz uma petição inicial para o requerimento administrativo. Isso pode evitar processos judiciais e facilitar a conquista dos seus direitos. É trabalhoso para o advogado, mas faz muita diferença para você.
  3. Pergunte se, na procuração, ele está pedindo poderes para receber benefícios em seu nome. Isso não é algo comum e pode indicar um perigo.

Esses 9 passos vão ajudar muito a contratar um Advogado Previdenciário. Assim, você se salva de advogados inexperientes, estelionatários ou que prestam um serviço ruim.

Como o Advogado Previdenciário pode acelerar seu processo

É um mito que o advogado não pode fazer nada para adiantar o seu processo.

Um advogado dedicado pode adiantar em meses o seu processo previdenciário. Isso vai depender de dedicação, organização e agilidade do profissional.

Ele precisa entender que ninguém pode ficar esperando a aposentadoria, não é mesmo?

Aqui no escritório nós temos uma estratégia bem definida e que beneficia nossos clientes com três medidas. Converse com o seu advogado de confiança para ele também adotar essas práticas. Veja.

1º – Petições Administrativas Especializadas

Este documento pode evitar processos na Justiça, ou pelo menos encurtá-los.

É um documento opcional que mostra todos os seus direitos e por que você deveria ter seu benefício concedido (seja aposentadoria, incapacidade, pensão, etc.) sem precisar de um processo judicial.

Este documento facilita a análise do INSS (ou outros entes administrativos) e facilita suas chances de dar tudo certo sem precisar entrar na Justiça.

Além disso, facilita o próprio processo judicial porque organiza o processo e deixa muito claro quais são os seus direitos não reconhecidos.

2º – Mandados de segurança

Eles podem adiantar em mais de 10 meses processos parados no INSS.

mandado de segurança é um processo judicial que força o INSS a dar retorno e não ficar com o processo parado. Força ele a cumprir o prazo legal de resposta para seus pedidos.

Isso não garante que ele vai conceder seu benefício, mas agiliza a decisão e pode salvar meses de processo na gaveta.

3º – Prazos internos curtos

O advogado não consegue controlar o prazo do Juiz e nem o prazo do INSS. Mas ele consegue controlar suas próprias tarefas.

Não é porque o advogado tem 15 dias para cumprir um prazo, que ele precisa esperar o último dia. Aqui sobram, no mínimo, cinco dias para que o prazo termine.

Escritórios com prazos internos curtos podem reduzir o tempo para o seu processo terminar antes.

Absurdo! Já soube de casos que o escritório ficava com o processo parado por um ano, sem nenhum motivo, antes de entrar com o processo do cliente.

Quanto o Advogado Previdenciário pode cobrar

Ele é obrigado a obedecer os limites estabelecidos pela OAB.

Não pode ser menos que o mínimo da OAB e nem mais do que você recebeu no seu processo.

Para aposentadorias, benefícios por incapacidade e pensão por morte, a maior parte dos escritórios divide o pagamento em:

  • percentual dos atrasados.
  • quantidade de benefícios.

Aqui no Paraná, a OAB estabelece o mínimo de 25% das parcelas vencidas e 25% das 12 parcelas vincendas para um processo judicial previdenciário.

Para entender melhor, confira aqui a tabela de honorários da OAB.

Isso significa que, no Paraná, o mínimo que o Advogado Previdenciário pode cobrar é:

  • 25% dos atrasados;
  • 3 primeiros benefícios (25% das 12 vincendas).

E o máximo que o advogado pode cobrar é:

  • 50% dos atrasados.
  • 6 primeiros benefícios (50% das 12 vincendas).

O valor mais praticado no mercado é:

  • 30% dos atrasados.
  • 3 primeiros benefícios (25% das 12 vincendas).

Então, a regra é: o advogado não pode receber mais que você e ele não pode cobrar menos do que o mínimo regulamentado pela OAB.

FONTE: https://ingracio.adv.br/melhor-advogado-previdenciario/

construtora

Comentar

Clique aqui para postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *